Durante entrevista com a NME, Josh Kiszka, vocalista do Greta Van Fleet, falou sobre a polêmica frase “o rock está morto”, que passou para a história após uma declaração feita por Gene Simmons, do Kiss, para a Esquire, onde ele diz: “o rock não morreu de velhice, ele foi assassinado. Quando eu estava subindo, a montanha não era intransponível. Quando você tinha uma gravadora ao seu lado, eles te custeavam, e isso também significava que quando você saía em turnê, eles te davam apoio, havia toda uma indústria para ajudar os próximos Beatles, Stones, Prince, Hendrix, para impulsioná-los e apoiá-los em cada etapa do processo”.

“Talvez o mundo do rock do qual ele (Gene Simmons) se lembra esteja morto”, comenta Josh. “Eu acho que o rock and roll é um gênero muito elástico e eclético. Parece que, de tempos em tempos, uma nova geração reinterpreta o que ele é… acho que o rock’n’roll pode ficar adormecido, mas você não pode matar algo que suplanta o tempo. É atitude, espírito e celebração. As pessoas vão passando a tocha e o tempo vai avançando”.

Por fim, o vocalista conclui: “Acho que provavelmente muitas pessoas discordam dele”.

Fonte: Whiplash