Felizmente, Donald Trump tem ficado fora das notícias desde que perdeu as eleições de 2020 e saiu da presidência dos EUA. A parte ruim disso, no entanto, é que temos visto pouco ser falado sobre os crimes que o empresário cometeu antes, durante e provavelmente depois de seu mandato.

Em meio a tudo isso, uma situação bem curiosa pode ser a chave para uma eventual condenação de Trump, ainda que — justamente por esse esquecimento — isso não pareça tão provável. Mas grande parte da esperança de justiça está diretamente ligada a uma lenda do Rock: Jon Bon Jovi.

O vocalista do Bon Jovi viveu uma “guerra” com Donald em 2014, quando o ex-apresentador de televisão colocou na cabeça que queria ser dono de um time da NFL, o Buffalo Bills.

Dono de hits como “Livin’ on a Prayer” e “Wanted Dead or Alive”, Bon Jovi queria adicionar à sua “coleção” uma das equipes mais tradicionais da liga de futebol americano dos EUA e, para isso, se juntou com um grupo canadense de investidores.

Determinado a não perder, Trump adotou uma estratégia que lembra bastante tudo que ele fez durante as eleições e durante seu mandato: espalhar fake news e usar os recursos mais baixos possíveis para prejudicar seu adversário. No caso, o empresário tentou mexer com o senso de lealdade dos torcedores dos Bills que, como falamos acima, estão entre os mais tradicionais da NFL.

Ao lado de seu aliado político de longa data, Michael Caputo, Trump espalhou rumores de que Jon teria planos para tirar o time da cidade de Buffalo e levá-lo para o Canadá, usando o fato de que os investidores vinham do país mais ao norte como argumento para isso.

O pior é que isso acabou funcionando e foram criadas até mesmo “zonas livres de Bon Jovi” na cidade que fica no estado de Nova York, em uma situação que o vocalista já disse que “deixou cicatrizes” e fez com que ele “retirasse do mapa” a cidade norte-americana, na qual ele não toca desde 2013, um ano antes dessa confusão.

Como Bon Jovi pode colocar Donald Trump na cadeia?

No fim das contas, nenhum dos dois acabou levando o time. O dono do Buffalo Sabres, time de hockey da cidade, foi quem finalizou a compra pela bagatela de US$1,4 bilhão de dólares.

Bom, o que nessa situação pode fazer com que Trump saia preso? É simples: a sua enorme determinação em não perder para o rockstar. De acordo com informações da VICE, o ex-presidente teria fabricado um atestado de faturamento com valores inflacionados para conseguir um empréstimo com o Deutsche Bank.

Quem confirmou isso foi o ex-advogado de Trump, Michael Cohen, em um depoimento de 2019, e os dados estão nas mãos da advocacia geral dos EUA, que investiga propriedades da Trump Organization desde Agosto de 2020; o mesmo tipo de fraude teria sido praticado em outras ocasiões.

Ainda de acordo com a VICE, o professor de direito Jed Shugerman, da Fordham University, explica que é totalmente possível que a advocacia geral passe o caso para procuradores criminais e que surja um processo que pode resultar na dissolução de todos os negócios da família Trump, além de permitir uma punição por fraude que pode colocar o ex-mandatário na cadeia.

 

 

Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos