Alanis Morissette não está feliz com o documentário Jagged, da HBO, que conta a história de sua vida.

O documentário está estreando hoje (14) no Festival Internacional de Cinema de Toronto e causou repercussão com comentários de quem já o assistiu, inclusive com citações sobre um suposto relato da cantora de que teria sido estuprada por vários homens aos 15 anos de idade.

Em declaração (via CoS), Alanis falou que o filme é um “olhar enganoso” de sua trajetória, citando ainda “implicações e fatos que não são verdadeiros”. A cantora disse:

”Fui enganada por uma falsa sensação de segurança, e as [conotações sexuais] se tornaram evidentes assim que vi o primeiro corte do filme. Embora haja beleza e alguns elementos precisos nesta/minha história, com certeza — no final das contas, não irei apoiar a visão redutiva de outra pessoa sobre uma história com muitas nuances para eles entenderem ou contarem.”

Morissette ainda deixou claro que não tem planos de estar na estreia do filme, e o comparou a “histórias e biografias não autorizadas” publicadas sobre ela ao longo dos anos.

Enquanto não citou diretamente a diretora Alison Klayman, Alanis disse ter se sentido “traída” após ver o primeiro corte do documentário. Ela completou:

”Concordei em participar de um artigo sobre a celebração do 25º aniversário de ‘Jagged Little Pill’ e fui entrevistada durante um período muito vulnerável: enquanto estava no meio da minha terceira depressão pós-parto, no meio da pandemia. Fui enganada por uma falsa sensação de segurança […]. Foi quando eu soube que nossas visões eram de fato dolorosamente divergentes. Esta não foi a história que concordei em contar.”

 

 

Fonte: TMDQA!