Os memoráveis shows do Queen no Brasil em 1981 ( Estádio do Morumbi) e 1985 (Rock in Rio) ganharam a atenção do pesquisador e colecionador William Nilsen, que está lançando o livro Queen no Brasil, 40 anos depois, a magia continua, pela Lisbela Editora. A obra conta com informações detalhadas das duas vindas do quarteto inglês ao país, além de fotos inéditas e relatos de fãs.

O projeto é resultado de pesquisas que incluem entrevistas com produtores, membros da equipe do Queen e fãs que estiveram presentes nos shows. O prefácio foi escrito por Tim Staffell, ex-vocalista e cofundador do Smile, banda que deu origem ao Queen e que contava com Brian May e Roger Taylor, integrantes originais do icônico conjunto britânico.

“O ano de 2021 marca quatro décadas da primeira visita do Queen ao Brasil. Senti que esse era o momento certo de contar as histórias por trás daquelas apresentações que mudaram o show business em nosso país. Essa banda incrível contribuiu muito com a abertura dos portões dos grandes concertos de rock em terras tupiniquins. Posso afirmar que, após as vindas deles, outros grupos de sucesso pegaram carona e começaram a se apresentar por aqui”, explica William.

O autor, que também fundou o primeiro fã clube do Queen no Brasil, relata o sentimento que guarda nestes 40 anos, acumulando emoções que alimentaram sua inspiração e ajudou um sonho a se tornar realidade. “Sou fanático pelo Queen desde 1974. Tive o privilégio de acompanhar a banda nas turnês que fizeram em nosso país na década de 80. Neste período, Freddie Mercury tinha um estilo único de encantar multidões. Eu sabia que estava vivendo de perto momentos que iriam marcar para sempre a história do Rock and Roll. Sinto que este livro está saindo na hora certa, da melhor maneira possível. Com certeza é a realização de um sonho. Do meu jeito, estou contribuindo para manter o legado da banda. O show tem que continuar”, concluiu.

Com 180 páginas, o exemplar é ilustrado com muitas fotos inéditas. Alguns dos principais registros foram feitos pela fotógrafa Paula Clivati Prado, que também é fã incondicional do quarteto inglês. Assim como fez William, ela “seguiu” a banda pela terra da garoa. “Em 1981 eu era uma adolescente de 16 anos, amava o Queen, gostava de fotografia e tinha uma Nikon F2 manual. Quando soube que viriam ao Brasil, entrei em contato com a gravadora deles e conheci o Paulinho Heavy, que trabalhava no departamento de promoção da EMI Odeon. Graças a esta amizade eu soube de toda a agenda do Queen em São Paulo. Eu sabia onde cada integrante estaria. Rastreei eles por toda parte. Foi surreal. Eu era uma fã fotografando meus ídolos. Na época, não imaginava que conseguiria”.

Paula relembra a dificuldade que era ter algum artista internacional se aventurando em solo nacional e declara sua satisfação ao contribuir com este lançamento. “O Brasil era uma país distante dos astros da música. Ver minha banda predileta aqui, naquele momento, era quase que inacreditável. Agora me encontro 40 anos depois, tendo o prazer de contribuir com as minhas fotos para este projeto tão lindo”.

Não é sempre que fãs se reúnem para prestar um tributo aos ídolos, lançando um material que demanda pesquisa e alto investimento financeiro. Tudo tem que ser feito com planejamento e ampla visão. E neste caso, o profissionalismo e experiência da jornalista, fotógrafa, designer gráfica e diretora da Lisbela EditoraMárcia Mossmann, fez toda diferença. Ela sugeriu que esta obra tinha tudo para sair num formato mais artístico, devido ao apelo visual do grupo e ao impacto que poderia causar nos fãs.

Considerando que tudo aplicado no livro tem como ingrediente principal o amor pelo Queen, Márcia também declara sua admiração. “Eles fazem parte da minha vida. Sempre amei as performances do Freddie Mercury e sua voz marcante. Na época do show do Morumbi eu morava em Brasília, era menor de idade e minha mãe não me deixou viajar para São Paulo. Mesmo assim, minha admiração por eles só aumentou. Os hits do Queen foram trilha sonora de muitos momentos da minha trajetória. Parece que algo me dizia que a ‘rainha do rock’ faria parte da minha vida num sentido mais direto. Este trabalho é a prova de que meu sentimento faz coisas mágicas acontecerem. É um tipo de magia. E sim, ‘A Kind Of Magic’ é minha canção favorita”, declara com bom humor.

Queen no Brasil, 40 anos depois, a magia continua, vai aquecer a memória daqueles que marcaram presença nos shows do Queen ao vivo. E quem não foi, será transportado para março de 1981 e janeiro de 1985, para se emocionar com Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon.

Para maior conforto dos fãs, cada exemplar é produzido em português, inglês e espanhol. Adquira no site: https://www.queennobrasil.com.

 

Fonte: A Rádio Rock