No início do ano, o cantor e compositor Humberto Gessinger recebeu, de um serviço de streaming, um relatório de tudo que havia escutado e se deu conta do quanto é amplo e diverso seu universo musical como ouvinte. Dentro desse universo, há espaço também para seu apreço pela música eletrônica, principalmente em sua fase inicial, analógica, que o acompanha desde a adolescência. Nessa mesma época, por causa da pandemia, Gessinger interrompeu a turnê do álbum Não Vejo a Hora (Deck/2019), que tinha como base duas formações: um power trio e um trio acústico.

“Em casa, longe dos palcos, as composições do disco começaram a falar mais alto do que o formato na qual foram gravadas e começou a fazer sentido para mim, explorar, pela primeira vez, um universo musical do qual gosto muito mas que é distante do que sempre fiz. Sem o compromisso (que eu mesmo me imponho) de limitar os discos à realidade das performances ao vivo, escolhi algumas músicas do Não Vejo a Hora para releituras eletrônicas e fui atrás de um pessoal legal, que soubesse levar (como eu não saberia) as canções para novas paisagens” – comentou ele.

O produtor, tecladista e arranjador Carlos Trilha, que já trabalhou com Marisa Monte, Renato Russo e muitos outros, foi chamado para remixar duas músicas. “Além do desafio de todo remix, fazer uma versão eletrônica das músicas “Estranho Fetiche” e “Fetiche Estranho” apresentou uma dificuldade extra, pois, apesar de serem partes complementares de uma mesma obra, elas tinham andamentos e subdivisões distintas. Fora isso, as únicas exigências de Humberto foram que eu usasse somente a voz da gravação original e que as duas canções deveriam ser unidas em uma só” – conta Trilha.

“Coloquei as faixas lado a lado, isolei as vozes e iniciei o processo de imaginar um novo universo ao redor delas, dentro do mundo encantado dos sintetizadores, onde sonoramente tudo é possível. Foi um desafio muito interessante reconstruir as músicas de acordo com essa linguagem. O resultado é uma suite em dois movimentos, com bastante dinâmica e repleta de texturas clássicas, que fazem parte da linguagem da synth music ” – conclui o produtor.

“Estranho Fetiche / Fetiche Estranho” (Carlos Trilha Remix) é um lançamento da Deck e já está disponível em todos os aplicativos de música (AQUI).

 

 

Fonte: A Rádio Rock