A novela da separação do Charlie Brown Jr. ganhou um novo capítulo nesta segunda-feira (1).

Marcão, ex-guitarrista da banda, soltou um comunicado onde afirma que ele e Thiago Castanho estão sendo “ameaçados e coagidos”. Os dois músicos deixaram o grupo nos últimos dias para seguir em um novo projeto, também relacionado ao CBJR.

A equipe da página oficial da banda, administrada por Alexandre, filho do saudoso Chorão, publicou uma nota citando “conduta desleal” e “desrespeito ao legado”, dando a entender que os músicos não têm autorização para tocar músicas do grupo.

Por lá, falou em “ataques, mentiras e rumores”, além de abordar o que chamou de “CBJR paralelo”:

Lamentamos que a recente saída do Marcão e do Thiago do projeto da turnê comemorativa de 30 anos do CBJR tenha sido anunciada com tantos ataques, mentiras e rumores nas redes sociais.

A nossa história nunca deixou de ser pautada pelo carinho e pelo respeito a cada um daqueles que integraram as diferentes fases da banda. Por isso, desejamos ao Thiago e ao Marcão nada mais do que sucesso em seus trabalhos pessoais.

Porém, independentemente do nosso respeito a cada um, não será amparada nem admitida qualquer tentativa de se tomar à força o nome e os projetos do Charlie Brown Jr.

A conduta desleal vista nos últimos dias e as manifestações ofensivas publicadas na Internet são o resultado de manobras irresponsáveis incentivadas por pessoas que pretendem valer-se de acusações falsas para iniciar a promoção de um projeto CBJR paralelo, desrespeitando o legado, os direitos e a memória do Chorão.

Isso jamais será aceito, seja de quem for.

Agradecemos as inúmeras mensagens de apoio e alertamos a todos de que divulgações não-autorizadas sobre celebrações e perfis paralelos não representam o Charlie Brown Jr.

Seguimos firmes no propósito de proteger aquilo que sempre cultivamos, celebrando a música, o skate, o rock e a vida.

Tamo Junto Família!”

Equipe CBJR

Na publicação, o perfil ainda usa a hashtag #respeitaolegado.

Em sua resposta, Marcão esclareceu alguns fatos como, por exemplo, o uso do nome do Charlie Brown Jr. — segundo o músico, o nome da banda não é registrado e, portanto, nada os impede de usá-lo legalmente. Ele também alega que vai continuar com seu projeto para celebrar os 30 anos do grupo.

Leia o comunicado na íntegra logo abaixo e clique aqui para ver a publicação original do guitarrista, que também foi compartilhada por Thiago.

Marcão responde o Charlie Brown Jr.

 

”Mediante aos últimos acontecimentos, precisamos vir aqui pra outros esclarecimentos!”

A página ‘oficial’ do Charlie Brown JR. postou uma NOTA. Está lá para vocês verem a veracidade dos fatos que expomos na semana passada, estamos sendo ameaçados e coagidos!

Fora o fato do herdeiro sanguíneo e administradores da página desmerecerem não só o nosso projeto, mas também de toda e qualquer homenagem à NOSSA BANDA, inclusive dos fãs que fazem cover e tributos, que tocam nossas músicas, mantendo vivo o nosso legado, fazendo celebrações e eternizando toda a nossa história!

Diferente do que foi contado, NÃO se trata de querermos o nome, mesmo sabendo que ele não pertence a essas pessoas! Vale lembrar que não existe o registro do nome Charlie Brown Jr. no INPI, o que assim não dá direito a ninguém se dizer dono de tal ‘marca’ como no texto é mencionado.

Não iremos aceitar ameaças e coações da empresa e representantes ligados ao Alexandre, filho do Chorão. Temos o direito de tocar nossas músicas com quem e como a gente quiser! Seguiremos juntos nessa trajetória construída por nós, que só foi e é possível graças a vocês: NOSSOS FÃS!

ESTAMOS UNIDOS COM TODOS QUE NOS APOIAM E ENTENDEM QUE SE TRATA DE UMA BANDA E NÃO UMA EMPRESA. OBRIGADO POR TODO APOIO QUE ESTÃO NOS DANDO NESTE MOMENTO!!

 

Fonte: TMDQA!